Você está lendo:
Vereador preso em Itanhangá deve responder por pelo menos três crimes
0

Vereador preso em Itanhangá deve responder por pelo menos três crimes

by newsmtdezembro 23, 2014

O presidente da Câmara de Vereadores de Itanhangá, Marcel Menezes Meurer (PMDB), preso em flagrante na noite de sábado (20) por embriaguez ao volante, dano ao patrimônio público e incitação à violência, ainda poderá responder pelos crimes de ameaça e lesão corporal.

Ele é suspeito de ter depredado, junto com outras 30 pessoas, uma unidade da Polícia Militar e um posto de saúde do município. Também teriam sido encontradas quatro trouxinhas de maconha no carro do vereador, que é dentista. A advogada dele, Ana Carolina Bellezi, disse que o parlamentar alega ser inocente.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso.

Meurer está preso numa cela provisória na Delegacia de Tapurah, a 60 km de Itanhangá, e a Justiça deverá decidir se ele vai ser solto. “Como os crimes do flagrante somam mais de quatro anos, não cabe à polícia arbitrar fiança.

Por isso, enviei o caso para o Fórum e ainda estamos aguardando resposta”, disse o delegado André Luis Barbosa, responsável pela investigação. O vereador já prestou depoimento e negou que tivesse participado da depredação dos patrimônios públicos, dizendo apenas que estava acompanhando os envolvidos.

De acordo com as polícias Civil e Militar, a confusão começou quando o vereador estava com um grupo de aproximadamente 30 pessoas bebendo e ouvindo música alta em uma praça no centro.

A PM foi até o local e disse para abaixarem o som dos carros, pois estavam perturbando os outros moradores. Então, eles foram para a MT-338. Lá, um adolescente teria atropelado, com uma moto, três pessoas que estavam com o bando. Uma mulher de 28 anos morreu e duas pessoas foram feridas.

As vítimas chegaram a ser levadas até uma unidade de saúde, mas o médico não pode atendê-las imediatamente porque estava com outro paciente. Então, o bando invadiu e depredou o local. Depois, o grupo foi até a unidade da PM no município, agrediram os dois policiais que estavam lá, e quebraram a porta de vidro e um monitor. Os agressores usaram pedaços de madeira, barras de ferro e pedras. Além do vereador, outras três pessoas foram presas.

“Ainda há alguns crimes que precisam ser apurados, já abrimos uma investigação criminaç. Também queremos saber quais foram os danos causadoas nas duas unidades públicas, caso seja pedida indenização”, disse Barbosa.

Meurer já havia sido preso em junho, em Cuiabá, por suspeita de ter agredido a própria irmã e uma sargento da Polícia Militar.

Quebra de decoro

A secretária da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Itanhangá, Elza Moura, disse que será avaliado se houve quebra de decoro por parte de Meurer. “Se a lei disser que ele tem que ser cassado, pode ter certeza de que os vereadores não vão passar a mão na cabeça de ninguém”, disse a vereadora.

Fonte:  Carolina Holland/G1-MT

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?