Você está lendo:
Avião com droga está em nome de advogado; carga valia R$ 10 mi
0

Avião com droga está em nome de advogado; carga valia R$ 10 mi

by newsmtmarço 10, 2016

Em depoimento, ele alegou que vendeu a aeronave e forneceu informações sobre o comprador

O avião carregado de cocaína pura que fez um pouso forçado em uma fazenda no município de Conquista D’Oeste (571 Km da Capital), na tarde de quarta-feira (9), está registrado em nome de um advogado. Os 442,2 quilos de droga foram avaliados em R$ 10 milhões.

O profissional está registrado na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e atua na Capital.

Conforme a Polícia Civil, ele prestou depoimento na Delegacia de Repressão a Entorpecentes de Cuiabá e alegou que vendeu a aeronave.

O advogado apresentou um contrato de compra e venda.

Porém, segundo a Polícia Civil, a mudança de proprietário não teria sido feita junto à Agência Nacional de Avião Civil (Anac).

O suposto comprador da aeronave está sendo procurado. O advogado foi liberado após o depoimento.

As investigações sobre o caso serão conduzidas pela Delegacia Regional de Pontes e Lacerda (457 km de Cuiabá).

O avião modelo Sertanejo foi encontrado em meio a uma plantação de soja, na fazenda São Paulo. O copiloto, de 57 anos, foi preso em flagrante. Ele já havia sido detido em 2013 pela Polícia Federal, também com um avião cheio de drogas, em Colíder (650 km a Norte de Cuiabá). Já o piloto está foragido.

A cocaína já foi incinerada na manhã desta quinta-feira (10) em uma olaria em Pontes e Lacerda, com autorização da Justiça.

O avião ainda está na fazenda e aguarda uma equipe do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), que irá transportá-lo para o hangar da Segurança Pública, no aeroporto Marechal Cândido Rondon, em Várzea Grande.

O delegado regional de Pontes e Lacerda, Vitor Chab Domingues, explicou que o piloto fugiu levando o GPS para dificultar a identificação da rota.

No entanto, deixou a chave na ignição.

“Vamos levantar informações da rota, que, segundo contou o preso, teria saído do município de Bela Vista, em Mato Grosso do Sul, com destino a uma fazenda nas proximidades de Cáceres”, detalhou o delegado, que desconfia da versão, já que Mato Grosso do Sul não é não produtor de cocaína.

Em Comodoro, a equipe do delegado André Eduardo Ribeiro já monitorava informações referentes a aviões que estariam pousando com drogas, provavelmente da Bolívia, em uma fazenda da região.

“Temos recebido denúncias aqui de pessoas da região, daquele ponto da Serra de Conquista D’ Oeste. Constantemente aviões de pequeno porte pousam ali ou arremessam objetos, inclusive já fizemos ali um patrulhamento”, afirmou o delegado.

1 2

Com Midia News

About The Author
newsmt