Você está lendo:
CAMINHONEIROS TANGARAENSES ARTICULAM BLOQUEAR RODOVIAS DIA 23
0

CAMINHONEIROS TANGARAENSES ARTICULAM BLOQUEAR RODOVIAS DIA 23

by newsmtabril 17, 2015

Caminhoneiros tangaraenses discutem a possibilidade de novo bloqueio em rodovias de Mato Grosso, no dia 23 de abril, caso o Governo Federal não aprove pauta que pede o preço mínimo do frete.

De acordo com o presidente da Associação dos Caminhoneiros de Tangará, Marcos Antônio Vieira, a confirmação da paralisação depende da reunião que acontecerá no dia 22 de abril, em Brasília. “Tudo depende desta reunião, o governo já teve o tempo necessário para atender nossa pauta, caso não haja acordo vamos bloquear novamente, mas dessa vez sem retroceder”, disse o presidente.
Um vídeo que está circulando no WhatsApp, nesta semana, mostra a mobiliação de caminhoneiros de Tangará da Serra articulando bloquear novamente as rodovias, o vídeo funciona como pressão para que o Governo atenda a pauta.

No vídeo, que também está postado em redes sociais, caminhoneiros que estão coordenando o protesto na região, colocam uma faixa no canteiro central da MT 358, trecho Tangará a Unemat, escrito: “Sem tabela de frete, dia 23 de abril o Brasil para”.
No vídeo, o presidente do Grupo de Tangará da Serra (GTS), Adailton Alves, diz: “Somos de Tangará da Serra, Mato Grosso e estamos aqui fazendo uma reivindicação ao Governo Federal que se não atender nossas reivindicações até o dia 22, dia 23 o Brasil para! Vamos lá, estamos juntos!.”

Outro caminhoneiro, que também aparece no vídeo, lembra que Tangará foi uma das cidades que iniciou os bloqueios de rodovias no protesto passado, que aconteceu em fevereiro. “E todos sabem que começou aqui, em Tangará da Serra, através da Associação dos Caminhoneiros, o movimento que parou o Brasil, e agora vai começar daqui de novo”, comentou.
Conforme o Diário da Serra publicou em edições anteriores, parte do movimento teve início em Tangará da Serra quando caminhoneiros da região bloquearam a BR-364 e em seguida a BR-163. A pauta dos manifestantes apontavam 12 itens, dentre os quais pediam a redução no valor do óleo diesel, o que o governo continua irredutível, e a atualização no valor do frete.

Em Mato Grosso, as BRs-163/364 chegaram a ter oito pontos de interdição em Rondonópolis, Cuiabá, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Diamantino, Sorriso e Sinop, por 12 dias, em fevereiro. No Estado, houve ‘congelamento’ do índices do ICMS sobre os combustíveis por alguns meses.

A manifestação dos caminhoneiros causou desabastecimento de combustíveis, gás de cozinha e outros produtos em várias cidades do Nortão.

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?