Você está lendo:
Estado demite policiais civis acusados de extorsão e tráfico
0

Estado demite policiais civis acusados de extorsão e tráfico

by newsmtoutubro 8, 2014

Um deles chegou a ser condenado pela Justiça em 2012

O Governo do Estado demitiu, nesta terça-feira (7), três policiais civis, que foram acusados, em 2011, de prática de crimes de extorsão durante o expediente, com a utilização de viaturas descaracterizadas.

Um deles foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, em 3 de maio daquele ano.

Acusado de tráfico de drogas e concussão (extorsão praticada por servidor público), o policial foi condenado pela Justiça em setembro de 2012, a 16 anos de prisão.

“[…] verifica-se que os acusados praticaram inúmeros ilícitos administrativos, distanciando-se assim dos princípios institucionais do Estado de Mato Grosso, não merecendo melhor sorte senão a aplicação da reprimenda”

Outros três policiais civis tiveram aplicadas as penas de suspensão por até 60 dias, também acusados de crime de concussão. Estes, assim como dois dos demitidos, foram inocentados pela Justiça.

O despacho, assinado pelo governador Silval Barbosa (PMDB), foi publicado no Diário Oficial que circulou nesta terça-feira (7), atendendo a uma recomendação da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

“De fato, ao analisar o conjunto probatório vertido nos autos, verifica-se que os acusados praticaram inúmeros ilícitos administrativos, distanciando-se assim dos princípios institucionais do Estado de Mato Grosso, não merecendo melhor sorte senão a aplicação da reprimenda recomendada pela Comissão Processante, bem como pela Procuradoria-Geral do Estado”, diz trecho da publicação.

Conforme consta na publicação, mesmo sob investigação da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), há três anos, todos seguiam recebendo salários normalmente até hoje, sendo suspensa, a partir de agora, apenas a remuneração dos três policiais demitidos.

“Determino que o superintendente de Legislação da Casa Civil comunique à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública para que esta proceda […] a suspensão do pagamento da remuneração e, se for o caso, das verbas indenizatórias auferidas pelos servidores processados, bem como notifique os interessados e seus defensores, pessoalmente”, concluiu o governador.

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?