Você está lendo:
GOVERNADOR DE MT, PEDRO TAQUES APRESENTA CARTA DE DESFILIAÇÃO DO PDT
0

GOVERNADOR DE MT, PEDRO TAQUES APRESENTA CARTA DE DESFILIAÇÃO DO PDT

by newsmtagosto 11, 2015

Taques apresentou carta de desfiliação ao diretório municipal do partido.
Nova sigla do governador deverá ser anunciada nas próximas semanas.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, apresentou nesta segunda-feira (10) seu pedido de desfiliação do Partido Democrático Trabalhista (PDT), sigla pela qual se elegeu senador em 2010 e governador em 2014. O pedido de desfiliação foi dirigido ao diretório municipal do partido em Cuiabá. Em viagem à região do Araguaia, leste de Mato Grosso, Taques emitiu nota por meio de sua assessoria de imprensa confirmando a desfiliação e anunciando para as próximas semanas a decisão sobre o próximo partido ao qual deverá se filiar.

No PDT por cinco anos, o ex-procurador da República Pedro Taques obteve 708.440 votos na candidatura ao Senado, em 2010. Em 2014, ao disputar o governo de Mato Grosso, ele obteve outros 833.788 votos (57,25% dos votos válidos). Com a vitória, o PDT chegou a ter dois governadores no país (o outro é Waldez Góes, do Amapá).

Sucinta, a carta entregue por Taques ao diretório do PDT apenas solicita seu desligamento e a retirada de seu nome do rol de filiados, o que deve ser informado aos diretórios estadual e nacional do aprtido, bem como à Justiça eleitoral.

De acordo com a nota emitida por Taques por conta da notícia da desfiliação, o motivo do ato é o apoio do PDT ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT). Na nota, ele lembrou que “sempre demonstrou descontentamento com a direção da legenda pelo apoio ao governo”, motivo pelo qual, já no Senado, adotou postura de independência. No Poder Legislativo, ele e outros senadores chegaram a tentar um movimento para retirar o PDT da base de apoio a Dilma, mas sem sucesso, lembra a nota.

Agora, segundo o texto, Taques e seu grupo político devem fazer nas próximas semanas o anúncio do partido ao qual deverão se filiar. Antes da oficialização, contudo, a saída do PDT já vinha sendo admitida por Taques, o que abriu espaço para diversos convites de filiação.

Na última sexta-feira (7), por exemplo, o governador foi “assediado” por colegas durante reunião em Cuiabá do Fórum dos governadores Brasil Central: o governador Marconi Perillo, de Goiás, acompanhado do também tucano Reinaldo Azambuja, de Mato Grosso do Sul, convidou Taques publicamente para se filiar ao PSDB; já Marcelo Miranda, do Tocantins, junto ao também peemedebista Confúcio Moura, de Rondônia, convidou o mato-grossense para ingressar no PMDB, sigla do ministro de Assuntos Estratégicos Mangabeira Unger, igualmente presente na ocasião; por sua vez, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, convidou Taques a integrar o PSB.

Deputado Zeca Viana (PDT) tem mais de R$ 82 milhões em bens (Foto: Fablicio Rodrigues/ALMT)Presidente estadual do PDT, Viana criticou postura
de Taques na sigla.(Foto: Fablicio Rodrigues/ALMT)

PDT
Questionado sobre a saída do governador, o presidente estadual do PDT em Mato Grosso, deputado estadual Zeca Viana, afirmou que a falta do agora ex-correligionário certamente não será sentida porque o governador não vinha militando pelo partido.

“Tenho que desejar para ele boa sorte, mas ele nunca foi pedetista, pelo que ele demonstrou”, criticou o parlamentar.

Viana também minimizou o peso do apoio nacional da sigla ao PT na decisão de Taques, dizendo que as desavenças políticas que ambos passaram a ter logo após o início do mandato devem ter sido o fator preponderante para a saída do governador do partido.

Fonte: Rádio Tangará

About The Author
newsmt