Você está lendo:
INDISCIPLINA NA CASERNA: PMs são expulsos por crimes de extorsão e tráfico de drogas
0

INDISCIPLINA NA CASERNA: PMs são expulsos por crimes de extorsão e tráfico de drogas

by newsmtoutubro 8, 2015

Casos aconteceram em Cuiabá e em Pontes e Lacerda; crimes foram apurados pela Corregedoria Geral

Por decisão do comandante-geral, coronel Zaqueu Barbosa, a Polícia Militar expulsou mais cinco membros da corporação, nesta semana.

Eles são acusados de crime de extorsão e de conduta considerada incompatível com a profissão.

As portarias com os nomes excluídos dos quadros da corporação foram publicadas na quarta-feira (7) no Diário Oficial do Estado.

Um dos casos que chamam atenção é o de um soldado acusado de praticar extorsão mediante ameaça.

Segundo a Corregedoria da PM, o militar exigiu R$ 2 mil para que liberar um suspeito que havia sido preso por tentar matar a esposa.

O caso aconteceu em novembro de 2011, em Cuiabá, quando M.J.S. foi preso pelo PM e, mediante a promessa de pagamento, foi solto sem a lavratura do Boletim de Ocorrência (BO).

Segundo a portaria, dois policiais lotados no 18º Batalhão da Polícia Militar de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá) são acusados de exigir uma “taxa” de R$ 800 de K.M.S.G., para recuperar objetos furtados.

Nos últimos dois casos, constam na portaria que os policiais foram presos em flagrante pelo crime de concussão (quando um servidor público exige vantagem indevida para si).

Os policias exigiram vantagem indevida para não encaminhar o preso à delegacia.

Para a Corregedoria, os policiais incidiram nas infrações disciplinares, de acordo com o Artigo 13 do Regulamento Disciplinar da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso (RDPMMT).

“Os autos pesam contra os disciplinados; o fato de, sendo levado pela ganância, terem exigido do Sr D.A.M.S. vantagem indevidas”, diz trecho de relatório da investigação publicado no Diário Oficial.

Tráfico de drogas

Com base no parecer da Corregedoria, o Comando da Polícia Militar expulsou, também em Cuiabá, um policial acusado de tráfico de drogas.

De acordo com portaria publicada no Diário Oficial, o policial devia reprimir as irregularidades presenciadas, mas resolveu agir em conluio com os “marginais”.

“Utilizando-se da facilidade de ser agente público (policial militar), movido pela ganância e egoísmos em receber vantagem indevida, deixou de adotar as medidas cabíveis, e ainda não levou a conhecimento das autoridades competentes as irregularidades presenciadas, que, pela lei, tinha o dever legal de reprimir. Mas, resolveu agir em conluio com os marginais, revelando-se, sobremodo, aviltante e desonrosa porque lança improba mácula sobre a imagem de toda corporação”, diz trecho da portaria.

Todos os policiais expulsos terão que devolver a carteira funcional, fardamentos e, se tiverem,  armas de fogo de uso restrito. Eles terão os portes de arma de fogo cancelados.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt