Você está lendo:
MAIS OPERAÇÕES: Gaeco vai ampliar combate à corrupção e mira deputados
0

MAIS OPERAÇÕES: Gaeco vai ampliar combate à corrupção e mira deputados

by newsmtdezembro 14, 2015

“O ano de 2016 vai ser triste para os corruptos em MT”, diz promotor Marco Aurélio de Castro

“O ano de 2016 vai ser, certamente, mais um ano triste para os corruptos”. A declaração é do coordenador do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), promotor Marco Aurélio de Castro.

Ele afirmou que, já a partir de janeiro do ano que vem, o Gaeco deve deflagrar as primeiras operações de combate à corrupção em Mato Grosso.

O promotor disse, inclusive, que o numero de operações deve ser maior do que as realizadas ao longo de 2015 – um total de 6.

“Acredito que em 2016 teremos mais operações do que neste ano. Isso não é triste só para os corruptos, mas, especialmente pra mim, que vou ter que dispensar meu tempo para combater a corrupção”, afirmou.

“Queria ter o meu tempo para cuidar do que realmente é importante, nesse cenário onde a população precisa de um atendimento humano, um bom atendimento de Saúde. Infelizmente, nós, hoje, temos que focar no combate à corrupção, porque esse é o mal do século. Mas nós vamos lá, com força e com ânimo combater esse mal”, completou.

Marco Aurélio de Castro não descartou ainda que as operações possam envolver deputados estaduais, que já foram, inclusive, citados por envolvidos nas operações deflagradas neste ano.

“Neste ano, tivemos muitos deputados citados, alguns foram até ouvidos. E, certamente, 2016 vai ingressar nesse ambiente também”.

Prisões

O chefe do Gaeco ainda comentou sobre as recentes prisões envolvendo figuras públicas de Mato Grosso, como o ex-governador Silval Barbosa, o ex-deputado José Riva e os ex-secretários de Estado Marcel de Cursi (Sefaz) e Pedro Nadaf (Sicme), por exemplo.

Prisões, inclusive, realizadas por meio de operações deflagradas pelo próprio Gaeco e também pela Delegacia de Polícia Fazendária (Defaz).

“Vejo esse cenário com muita tristeza porque eu sempre aprendi que aquele que era designado pela população para servir ao Estado deveria servir com hombridade e honestidade. Infelizmente, não foi isso que vi”, disse.

O promotor disse, ainda, que a recente prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), pela Polícia Federal, na Operação Lava-Jato, é mais um “recado” para os políticos envolvidos em esquemas de corrupção.

“Essa prisão é um bom recado que o Supremo deu a todos os deputados do Brasil, a todos os legisladores do Brasil o recado de que ninguém está acima da lei. Ou seja, se praticar um crime, tiver elementos de prova, a prisão também pode recair sobre um vereador, um senador, um deputado”, disse.

“Hoje, as instituições como o Ministério Público Estadual, o Ministério Público Federal, a Polícia Civil e a Polícia Federal trabalham no mesmo caminho: mostrar quem fez, o que fez de errado e pedir a punição ao Poder Judiciário”, concluiu.

Fonte: Do Midia News

About The Author
newsmt