Você está lendo:
PADRASTO PRESO ALEGA QUE BATIA EM CRIANÇAS DE 1 E 2 ANOS PARA ‘CORRIGIR’
0

PADRASTO PRESO ALEGA QUE BATIA EM CRIANÇAS DE 1 E 2 ANOS PARA ‘CORRIGIR’

by newsmtabril 17, 2015

Delegada classificou caso de irmãos como tortura e não maus tratos. Suspeito é instrutor de artes marciais e foi preso em Várzea Grande (MT).

O instrutor de artes marciais, de 31 anos, preso suspeito de torturar os dois enteados, de um e dois anos, disse em depoimento à Polícia Civil que batia nas crianças para ‘corrigir e disciplinar’. Ele foi preso na quinta (16) e interrogado nesta sexta-feira (17) Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

s agressões foram denunciadas pela babá que cuidava dos meninos. As crianças apresentavam ferimentos graves nas costas, nas pernas e nádegas. “Ao ser interrogado o suspeito afirmou que se ‘excedeu’ nos meios de correção e como ele [a criança] resistiu à ‘disciplina’, ele abusou dos meios de correção”, informou a delegada responsável pelo caso, Daniela Silveira Maidel.

Pelas investigações e depoimentos, a polícia descobriu que a criança menor, de apenas 1 ano e oito meses, era quem mais sofreu agressões. A delegada investiga se existiam ciúmes por parte do padrasto em relação ao bebê.

“As investigações apontam que a criança menor tem mais lesões pelo corpo. Durante o interrogatório o suspeito nos revelou que a mãe tinha mais afeto pelo menor. Então, é uma dedução que a criança seria um alvo de ciúmes do suspeito e por isso as agressões se concentrariam nele”, justificou.

O instrutor morava com a mãe das crianças há seis meses. A mãe dos meninos, de 20 anos, espera um filho do suspeito. Conforme a delegada, a participação dela ainda é investigada. “É uma absurda desproporção. Um homem adulto, forte, que se intitula como professor de artes marciais surrar uma criança de 1 ano e oito meses é um absurdo. A história de disciplinar não nos convenceu”, pontuou Maidel.

A polícia ainda não tem certeza de há quanto tempo os irmãos sofriam as agressões. “Elas [as agressões] têm diversas ‘idades’, são lesões recentes e antigas. Isso nos passa que essas crianças vinham sendo agredidas ao longo de um tempo. Por isso essa tipificação de crime de tortura e não de maus tratos. [A agressão] era recorrente e ficou evidente que ele queria impor à criança um sofrimento físico e emocional e não só corrigi-la”, finalizou a delegada.

Em depoimento o suspeito acusou a mãe dos meninos de também ter cometido as agressões. No entanto, a mãe negou e afirmou que todas as agressões foram cometidas pelo namorado. A mulher afirmou à polícia que não o denunciou em virtude das graves ameaças que ele fazia contra ela. Os irmãos estão sob a guarda do Conselho Tutelar de Várzea Grande.

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?