Você está lendo:
PMs rejeitam parcelamento de reajuste e dão prazo ao Governo
0

PMs rejeitam parcelamento de reajuste e dão prazo ao Governo

by newsmtmaio 23, 2015

Em assembleia-geral unificada, as duas categorias cobram promessa de campanha do governador Taques

Policiais militares e integrantes do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso voltaram a cobrar do Governo do Estado o cumprimento de acordo referente à reestruturação salarial das duas categorias.

As reivindicações foram feitas durante assembleia-geral unificada, com cerca de 700 pessoas, nesta semana, no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá.

Os PMs e os bombeiros querem o pagamento imediato do reajuste do mês de maio, e que o Governo assuma o compromisso de pagar, na íntegra, o aumento referente a dezembro.

“Eles têm até o dia 28 para nos dar uma resposta. Caso contrário, iremos fazer uma nova assembleia-geral para definir os nossos próximos passos. Por hora, a decretação greve não é uma possibilidade, mas vamos ter que lutar pelos nossos direitos”, disse o major PM Wanderson Nunes de Siqueira, presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar (Assof).

“Ainda é cedo para falarmos de greve, mas, caso isso seja necessário, teremos que fazê-la”, informou o major.

A proposta do Governo, feita por meio das secretarias de Segurança Pública e de Gestão, é de pagar os 50% do INPC em dezembro de 2015 e de dividir a terceira parcela da reestruturação nos meses de dezembro de 2015, janeiro e abril de 2016.

As categorias avaliaram as propostas, mas não aceitaram o parcelamento.

“Eles têm até o dia 28 para nos dar uma resposta. Caso contrário, iremos fazer uma nova assembleia para definir os próximos passos. Por hora, a greve não é uma possibilidade, mas vamos ter que lutar pelos nossos direitos”

Durante a assembleia, os militares acusaram o governador Pedro Taques de não honrar os compromissos de campanha, ao não cumprir, na íntegra, as tabelas salariais de maio e dezembro de 2015 da categoria.

Divulgação

Em assembleia-geral unificada, PMs e bombeiros cobraram compromissos do Governo

Reivindicações

Em contrapartida à proposta do Palácio Paiaguás, os militares e bombeiros elaboraram um documento com as novas reivindicações, que foi encaminhado para avaliação.

Entre as principais reivindicações, estão:

1. Rejeitar a proposta de parcelamento apresentada na data de ontem, pelo Secretário Adjunto de Segurança Pública, de pagar os 50% do INPC em dezembro de 2015 e de dividir a terceira parcela da reestruturação nos meses de dezembro de 2015, janeiro e abril de 2016;

2. Exigir ainda neste mês de maio, a aplicação integral do anexo II da lei de reestruturação salarial;

3. Rejeitar qualquer proposta de divisão da parcela de dezembro de 2015;

4. Definição do dia 28 de maio, como prazo final, para um entendimento com o Governo em relação aos apontamentos da categoria, após esse prazo, deverá ser convocada nova assembleia para apresentar os resultados;

Na hipótese de o Governo impor o descumprindo da Lei Complementar 541/2014, foi deliberado pelo ajuizamento de ações judiciais e manifestações públicas de repúdio da categoria.

Fonte: MAYLA MIRANDA DO MÍDIA NEWS
About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?