Você está lendo:
Polícia abre inquérito sobre execução e tentativa de linchamento
0

Polícia abre inquérito sobre execução e tentativa de linchamento

by newsmtjulho 7, 2015

Adriano Coelho foi assassinado no domingo (5); moradores tentaram linchar suspeito do crime

A Polícia Judiciária Civil instaurou dois inquéritos para investigar a morte do comerciante e piloto de motocross Adriano Coelho, de 28 anos, e a tentativa de homicídio contra o suspeito do crime, P. S.S., de 32 anos, dentro da delegacia de Brasnorte (579 km a Noroeste de Cuiabá).

O assassinato de Adriano, ocorrido na manhã de domingo (5), em sua própria residência, localizada no bairro Nossa Lar, revoltou os moradores da cidade, que, logo que tomaram conhecimento da prisão de P.S., na tarde de segunda-feira (6), cercaram a delegacia.

Um dos populares conseguiu entrar no prédio e atirou contra o preso, que foi atingido no peito.

Só depois de o reforço policial chegar à cidade é que os moradores se dispersaram da frente da unidade.

P. S. foi transportado em uma aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (CioPAer) para o Pronto-Socorro de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Civil, o quadro de saúde do homem é estável. Ainda não se sabe se ele ficará preso em Cuiabá, ou se será levado para uma unidade prisional da região de Brasnorte.

O delegado Adil Pinheiro de Paula informou, na manhã desta terça-feira (7), que já formalizou o pedido de prisão preventiva do suspeito baleado.

Segundo Pinheiro, ele é usuário de drogas e, há cerca de 10 dias, foi atuado em flagrante por agredir a própria mãe.

O crime

Segundo apurou a Polícia Civil, o suspeito procurou Adriano Coelho em sua casa para pedir dinheiro para comprar entorpecentes. A  vítima se negou a dar a quantia de R$ 1 mil e acabou alvo der três golpes de canivetes.

De acordo com o delegado Adil Pinheiro, a vítima alugava uma casa da mãe do preso, que, por conta da relação, procurou Adriano para pedir dinheiro.

“O pai do preso vendeu uns lote, justamente para pagar advogado pela quantidade de processos que ele responde. E a mãe do preso alugava uma casa para vítima, que já tinha pago o aluguel do mês. Ele queria mesmo era extorquir a vítima para usar drogas. Então, pegou uma moto emprestada e foi atrás do Adriano, que não devia nada para a família”, disse o delegado.

Adriano ainda chegou a ser socorrido por amigos e foi levado a um hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e chegou sem vida à unidade de atendimento.

O comerciante era filho de José Áureo, empresário do ramo supermercadista da região Noroeste de Mato Grosso.

Reforço

Equipes das Delegacias Regionais da Polícia Civil de Juína e Tangará da Serra, policiais militares da Força Tática das mesmas regiões e uma equipe da Gerência de Operações Especiais (GOE), em Cuiabá, foram deslocadas para Brasnorte para conter os ânimos da população.

O delegado regional de Juína, José Carlos de Almeida Júnior, foi o primeiro a chegar na cidade e controlou a situação.

“A vítima era muito querida por todos e a população se revoltou, querendo fazer justiça com as próprias mãos. Conversamos, e eles entenderam que não podiam agir assim”, disse o delegado.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt