Você está lendo:
Taques reafirma corte de gastos, mas não confirma fusões
0

Taques reafirma corte de gastos, mas não confirma fusões

by newsmtoutubro 22, 2014

“Defendi cortes de gastos e vamos fazê-los, independentemente do número de secretarias”, disse

O governador eleito Pedro Taques (PDT) afirmou que a extinção de pastas e demissão de servidores comissionados, anunciados na semana passada pelo coordenador de transição governamental, Otaviano Pivetta (PDT), ainda não está totalmente definida.

Em entrevista à Rádio MixFM, nesta quarta-feira (22), Taques afirmou que irá debater com pessoas ligadas a cada setor, antes de tomar qualquer decisão.

“Desde ontem [terça-feira, 21], comecei a me reunir com a equipe de transição para que possamos, de forma mais detalhada, conhecer os problemas do Estado. Assumi um compromisso com o cidadão e, agora, preciso saldá-lo. Defendi cortes de gastos, defendi um Estado menor, e vamos fazer isso, independentemente do número de secretarias”, afirmou.

“Uma reforma administrativa precisa ser feita de forma consciente, para diminuir o número de secretarias, sem que nós tenhamos prejuízos na execução de políticas públicas que são importantes para a sociedade mato-grossense. Para isso, precisamos ouvir as pessoas”, disse.

Taques se defendeu das criticas sofridas, na última semana, pela possível extinção e fusão de algumas pastas, como as de Cultura e Turismo.

“A Cultura, que causou uma celeuma exagerada, é uma política pública prevista na Constituição e que deve ser respeitada. Mas, se será secretaria ou não teremos que debater com a categoria. O que não é possível são a fraude e a corrupção. Vi pessoas criticando o nosso coordenador, mas não vi as mesmas pessoas lutando contra a corrupção na secretaria, contra projetos que não existem”, afirmou.

“O turismo no nosso Estado foi jogado às traças. Perdemos um momento importante, que foi a Copa, o chamado legado não foi aproveitado. Temos hotéis em Cuiabá com um grande número de vagas e, se não buscarmos uma solução, haverá prejuízo. Nós trataremos o turismo como indústria, com um viés econômico”, disse o governador eleito.

Outro assunto ainda a ser debatido será a possível extinção do MT Saúde, também abordado por Pivetta.

Segundo Taques, a questão será debatida, em breve, durante uma reunião com o Fórum Sindical.

“Nós temos que entender que o MT Saúde, em um determinado momento, foi importante. Agora, o que houve de fraude, corrupção, desvio de dinheiro é algo que até no Paraguai dá cadeia, com todo respeito ao Paraguai”, disse.

“Acredito que é possível à existência de um plano para servidores estaduais, mas não quero apenas um debate jurídico, temos que trazer o componente político e vamos debater isso com o Fórum Sindical. Quero ouvir as pessoas para que possamos decidir com fundamento em lastros e números”, afirmou.

Definição de secretários

Taques negou que já tenha começado a definição dos futuros secretários de sua gestão.

No entanto, afirmou já ter uma ideia de nomes, que podem ser compostos por servidores, atores políticos e deputados.

“Secretário quem define é o governador, no mais são apenas especulações. Lógico que tenho nomes na minha cabeça, mas só serão revelados após uma conversa com os partidos que estiveram ao nosso lado, lá pelo final de novembro e início de dezembro”, disse.

Taques usará a Lei da Ficha Limpa para a definição dos nomes de seu secretariado.

“O primeiro critério é ter ficha limpa, sou autor do projeto de resolução do Senado aprovado que afirma que o servidor deve ser ficha limpa. E aqui temos lei do deputado Guilherme Maluf que trata disso. O segundo é a pertinência temática, o comprometimento e conhecimento daquela pasta”, afirmou.

Leia também:

Pivetta anuncia que Governo Taques deve ter 12 secretarias

Pivetta garante alinhamento com Taques e foca em enxugamento

DOUGLAS TRIELLI/Midia News

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?